Mostrando postagens com marcador Linux. Mostrar todas as postagens

Execute o Windows 95 no Linux-Ubuntu


Aprenda o passo a passo para executar o Windows 95 no linux:

1. Faça o download da versão mais recente do windows95 para o Ubuntu:

Está disponível em formato zip, rpm e deb para diversos sistemas operacionais. 
Vide mais detalhes aqui

2. Depois que você tiver o download do arquivo, você pode instalá-lo usando o seguinte comando:
sudo apt install gdebi
sudo gdebi windows95_1.1.0_amd64.deb
3. Para executar basta digitar no terminal o comando abaixo:
windows95

Vídeo com o passo a passo:



Mais detalhes sobre o projeto windows95 no github:

Nenhum comentário:

ERROR 1524 (HY000): Plugin 'unix_socket' is not loaded

Recentemente, fui fazer uma pequena alteração no meu banco de dados, para mudar as permissões de um determinado usuário e acabei perdendo o acesso ao banco.

Análise do problema:

O problema aconteceu depois da repetição de um simples comando: GRANT SELECT, INSERT, UPDATE ON dbsystemmyimei.* TO usermyimeico;

Depois de executar  o comando, mencionado acima, comecei a receber uma mensagem informando a tabela de usuário estaria corrompida e daí pra frente eu não conseguia fazer mais nenhuma alteração no meu banco de dados e quando tentava entra no mysql, recebia a seguinte mensagem de erro: "ERROR 1524 (HY000): Plugin 'unix_socket' is not loaded"

Pesquisando sobre  unix_socket na internet descobrimos que ele é um plug-in de autenticação que permite usar as credenciais do sistema operacional para se conectar ao MySQL/MariaDB. Ele faz isso por meio do arquivo de soquete local que é definido pela variável do sistema de soquete.

Mais detalhes em mariadb.

Host: Sistema: Ubuntu 18.04.2 LTS - 64 bits
CPU: Intel® Core™ i5-4460 CPU @ 3.20GHz × 4 
Memória: 8GB 


Solução

Antes de resolvermos esse problema, será preciso fazer o backup da pasta mysql porque, por algum motivo, ainda desconhecido, o mysql.sock é deletado toda vez que o serviço mysql é parado e o mysqld_safe não pode criá-lo novamente. Por isso, para contornarmos esse problema, é preciso fazermos o backup da pasta sock e restaurar antes de iniciar o mysqld_safe.

Passo a passo:

Essa solução pode ser aplicada no mysql ou mariadb

1. Se o mysql ou mariadb estiver parado, inicia com o seguinte comando:

sudo service mysql start

2. Navegue para a pasta /var/run
cd /var/run

3. Agora faça o backup :
sudo cp -rp ./mysqld ./mysqld.bak

4. Pare o serviço mysql
sudo service mysql stop

5. Agora vamos restaurar o backup
sudo mv ./mysqld.bak ./mysqld

6. Inicie o mysql no modo seguro
sudo mysqld_safe --skip-grant-tables --skip-networking &

7 . Em seguida, efetue login no mysql como root:
mysql -u root

8. Confira se o plugin de autenticação está configurado para o usuário root:
select Host,User,plugin from mysql.user where User='root';

Você pode ver que ele está usando o plug-in unix_socket



9. Para mudar para o plug-in mysql_native_password, execute o seguinte comando:
update mysql.user set plugin='mysql_native_password';

10. Agora é só sair do mysql modo segurança:
quit;

11. Pare o modo segurança
sudo kill -9 $(pgrep mysql)

12. Inicie o mysql ou mariadb, novamente
sudo systemctl start mysql

13. Agora é só fazer o login com sua senha normal:
mysql -u root -p

Problema resolvido!

Vide o passo a passo em vídeo


Nenhum comentário:

Problema para desinstalar o MySql no Linux-Ubuntu

Se você estiver com problema no MySQL e precisa fazer reinstalação, siga os passos abaixo para desinstalar e remover todos os pacotes e pastas do mysql:


1. Desinstalar e remover todos os pacotes
sudo apt-get remove --purge mysql-server mysql-client mysql-common -y
sudo apt-get autoremove -y
sudo apt-get autoclean

2. Remover a pasta MySQL

rm -rf /etc/mysql

3. Se você quiser, ainda pode exclui todos os arquivos do mysql no seu servidor:

sudo find / -iname 'mysql*' -exec rm -rf {} \;

 No final da remoção, se você quiser reinstalar e configurar o mysql novamente, siga os passos abaixo:


1. Instalar o MySql
sudo apt-get install mysql-server

2. Para fazer as configurações de segurança do banco:
sudo mysql_secure_installation
Nenhum comentário:

Erro ao formatar o volume - Error wiping device: Failed to open the device '/dev/sdc1' (undisks-error-quark, 0)

Se você estiver tentando formatar um pendrive ou HD e for exibido o erro na imagem abaixo:



Siga os passos a baixo, para resolver o seu problema:

1. Abrir a ferramenta de gerenciamento de discos;

2. Selecionar a unidade que está apresentando problema;

3. Clicar no menu da imagem abaixo e selecionar a opção "Formatar disco..."

4. Em seguida clicar na opção "Formatar..."

Agora é só aguardar a finalização da formatação. Se por algum motivo você não tiver conseguido formatar o seu pendrive, deixe sua pergunta nos comentários abaixo que nós tentaremos responder.
Nenhum comentário:

Error: Unable to find git in your PATH - ( Ubuntu )

Durante a instalação/configuração do Flutter, ao executar o comando flutter doctor, retornava o seguinte erro: Error: Unable to find git in your PATH.

O problema foi resolvido fazendo uma instalação com o comando abaixo:

sudo apt-get install git
Um comentário:

Criar e restaura imagem/backup/clone - Linux

O DD é uma excelente ferramenta para clonar ou fazer backup de uma unidade de disco físico ou removível ( HDs, SSDs, ou Mídia removíveis ). Ele é muito prático e rápido para replicar uma imagem em outros computadores, por exemplo.

Logo abaixo, é possível ver duas linhas de exemplo para criar uma imagem de um disco e outro exemplo de como restaurar a imagem que foi criada no passo anterior

Cria a imagem do disco
dd if=/dev/hda | gzip > /PASTA/imagem_do_hd.img.gz

Restaura a imagem
gzip -d -c /PASTA/imagem_do_hd.img.gz | dd of=/dev/hda
Nenhum comentário:

CentOS-Could not retrieve mirrorlist

Analise do problema
Ao executar o comando yum update, era exibido a mensagem na imagem abaixo:


Causa raiz
A provável causa desse problema é com o dhclient que não está habilitado na inicialização, com isso a máquina não recebe um IP do servidor DHCP.

Solução
Para resolver esse problema, será necessário habilitar o dhclient para inicializar com o SO:

1. Editar o arquivo /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-eth0 (no meu caso foi o eth0, confira qual é o seu adaptador);
2. Alterar a linha ONBOOT=no para ONBOOT=yes;
Com isso o dhclient vai inicializar junto com o SO.
3. Executar o comando dhclient, para receber um novo IP do DHCP

Como instalar o Windows ou Linux pelo Pen Drive

Preparando o pen drive para realizar uma instalação do Windows ou Linux


Se estiver com dúvida siga o passo a passo abaixo:

Nessa etapa vamos prepara o pendrive para ser reconhecido como uma partição estendida do tipo de arquivo NTFS

1. Conecte o pendrive no seu equipamento;

2. Abra o prompt de comando com privilegio administrativo, escolhendo a opção Executar como Administrador
Exemplo: Clique em Iniciar => Todos os Programas =Acessories  => e me seguida clique com o lodo direito do mouse em Command Prompt e escolha a opção Executar como Administrador
Exemplo



3. No prompt de comando digite DISKPART e pressione ENTER

DISKPART   
4. Escreva LIST DISK e pressione ENTER
LIST DISK
5. Identifique o seu pendrive e escreva agora Select Disk 1 e pressione ENTER
Select Disk NúmeroDoSeuDiscoAqui
Foi escolhido o número 1 porque é ele que corresponde ao meu pendrive. Substitua pelo número referente ao seu pendrive

6. Agora escreva Clean e pressione ENTER
Clean
7. Vamos criar uma partição primaria. escreva Create partition primary e pressione ENTER
Create partition primary
8. Vamos ativar a partição. para isso escreva: Active e pressione ENTER
Active
9. Aqui iremos formatar o pendrive no modo rápido com o tipo de arquivo NTFS, escreva: Format fs=NTFS quick e pressione ENTER
Format fs=NTFS quick
10. Atribuindo uma letra para a unidade, digite: Assign e pressione ENTER
Assign
11. Saia do Diskpart, digitando: Exit e pressione ENTER
Exit

Pronto, seu pendrive está preparado para receber os arquivos de instalação do Windows ou Linux
 

Copiando os arquivos de instalação para o pendrive
 
Coloque o DVD ou monte uma ISO do Windows 7 ou Linux no drive (em pc ou notebook que tenha um leitor de dvd) e copie todo o conteúdo para o pendrive.
Nenhum comentário:

Ferramenta AutoDraw para ajudá-lo a desenhar

Para quem gosta de desenhar em seu telefone ou computador, o Google oferece uma excelente ferramenta, o AutoDraw, que vai facilitar muito o seu trabalho. 

O legal é que você nem precisa instalar no seu computador ou Smartphone o AutoDraw,  porque ele é baseada na web. A ferramente combina aprendizagem de máquina com desenhos criados por artistas talentosos para ajudá-lo a desenhar.

Exemplo de desenho com o AutoDraw
Acesse aqui o AutoDraw do seu PC ou Smartphone 
Nenhum comentário:

Falha no sistema de criptografia do Linux permite acesso ao shell

Uma vulnerabilidade no sistema de criptografia (Cryptsetup) de algumas distros do Linux, permite acesso ao shell com privilégios de root. 

Lembrando que a criptografia do Linux não foi quebrada, como estão dizendo por aí. Os dados na unidade que foi criptografada continuam lá protegidos. O suposto invasor não vai conseguir acessar esses dados tão fácil assim.

A falha é causada por uma verificação incorreta da senha no arquivo de script/scripts/local-top/cryptroot. Ao exceder o número máximo de tentativas de senha, o script de chamada, scripts/locais, trata o erro como se fosse uma falha ou lentidão no hardware e abri um shell para o usuário.

Apesar de seus dados estarem protegidos, ainda assim existe a falha, que é grave, e é preciso ter cuidado, especialmente em ambientes como bibliotecas, caixas eletrônicos, máquinas de aeroporto, laboratórios e etc... 

Essa falha pode ser explorada acesso físico quanto acesso remoto - ambientes de nuvem. Os atacantes podem copiar, modificar ou destruir o disco rígido, bem como configurar a rede para filtrar seus dados. 

A divulgação desta vulnerabilidade foi apresentada por Hector Marco e Ismael Ripoll, você pode ver todos os detalhes e a correção para essa falha aqui: CVE-2016-4484: Cryptsetup Initrd root Shell

Teste no Ubuntu

Nenhum comentário:

Falha no Kernel do Linux dá acesso completo ao ao usuário em 5 segundos

Texto ataptado:

Se você precisa de outro motivo para ser paranóico sobre a segurança de sua rede, uma grave vunerabilidade no kernel do Linux, há nove anos, está agora em estado selvagem.  O pesquisador, Phil Oester, que encontrou a vunerabilidade, disse "o ataque é extremamente fácil de ser feito e que a falha existe, provavelmente, há anos". Devido à sua complexidade, ele só foi capaz de detectá-lo porque capturou todo o tráfego de entrada HTTP e foi capaz de extrair o exploit e testá-lo.

A falha do kernel (CVE-2.016-5.195) é um bug de 11 anos que o próprio Linus Tovalds tentou remendar uma vez. Seu trabalho, infelizmente, foi desfeito por outros fix de correção, anos mais tarde. 

O problema é que o sistema de memória do kernel Linux pode quebrar durante determinadas operações de memória, de acordo com a Red Hat. "Um usuário local sem privilégios poderia usar essa falha para ganhar acesso de escrita ... e assim aumentar os seus privilégios no sistema."

Em outras palavras, pode ser utilizada para obter acesso ao servidor de raiz, o que é uma coisa terrível para a Internet. Embora seja principalmente um ataque para usuários que já têm uma conta em um servidor, ele pode potencialmente ser explorada em uma máquina Linux que permite que você executar um arquivo - algo que é comum para servidores online.
Nenhum comentário:

ISO Linux Download-Principais Distros

Principais Distros Linux ISO

ISO das principais distribuições do Linux para download

Debian

Download Oficial: Debian ISO

Ubuntu

Download Oficial: Ubuntu ISO

Arch Linux

Download Oficial: Arch Linux ISO

Fedora

Download Oficial: Fedora ISO

CentOS

Oficial de download: CentOS ISO

OpenSUSE

Download Oficial: OpenSUSE ISO

Mandriva

Download Oficial: Mandriva ISO

Chapéu vermelho

Download Oficial: RedHat ISO

Gentoo

Download Oficial: Gentoo ISO

Knoppix

Download Oficial: Knoppix ISO

Slackware

Download Oficial: Slackware ISO
Nenhum comentário:

Performance/Qualidade-Raspberry-Thin Client

Raspberry Pi como Thin Client


Atenção!

Esse trabalho está em andamento, em qualquer momento podemos fazer atualizações ou alterações neste documento.Recomendamos que você faça um acompanhamento diário. E se você tiver alguma dica, contribua comentando no final desse post.

Se você estiver utilizando o Raspberry Pi como um cliente Thin Client e está querendo melhorar o seu desempenho, veio no local certo!!

O objetivo desse estudo é melhorar a performance do Raspberry Pi, como um cliente Thin Client, para acesso a máquinas remotas Windows via protocolo RDP. Para isso, realizamos um estudo onde foi levado em consideração Performance e Qualidade na visualização (imagem, fonte vídeo, áudio...)

Procuramos configurar o Raspberry Pi de uma forma que o cliente tenha a impressão de estar em sua própria máquina, fisicamente. As configurações abaixo, podem melhorar em até 70% a performance e qualidade do thin cliente.

A etapa de configuração será dividida em duas partes: Configurando Ambiente Windows e Configurando o Raspberry Pi como Thin Client


Os nossos testes foram realizados com o Raspberry Pi 2B acessando remotamente via RDP um cliente com SO Windows 7 e outro com Windows 10.

Configuração do Raspberry Pi 2 B:
·         CPU: 900MHz
·         Memória RAM: 1GB
·         Fonte de alimentção 5V/2A
·         Ethernet 10/100 (RJ45)
·         Cartão MicroSD Classe 4 (aconselhável classe 10, melhor desempenho)

Configurando Ambiente Windows

Nesta etapa será realizado algumas configurações que são de grande importância para o nosso objetivo: Configurando máquina Windows para realizar conexão RDP, alterando o algoritmo de compressão e configurando melhorias para conexões RDP no Windows.

1. Clicar no menu Iniciar e pesquisar por gpedit.msc e clicar com o lado direito do mouse e escolher a opção Executar como administrador

2. Navegar para Configuração do Computador, Modelos Administrativos, Componentes do Windows, Serviços de Área de Trabalho Remotas e Host de Sessão da Área de Trabalho Remota


3. Configure os itens desejados ou siga o modelo de configurações das imagens abaixo:

4. Em alguns casos, você pode escolher o melhor parâmetro que se adequar a suas necessidades 
 5. Aqui, configuramos o algoritmo de compactação de RDP para Otimizado para usar menos memória. Configure ao seu modo.
 6. Nesta etapa, damos prioridade o modo Otimizar para escalabilidade do servidor

Será necessário realizar mais algumas configurações no Windows, como habilitar o Acesso Remoto e desabilitarauto-tuning TCP.


Habilitar o Acesso Remoto no Windows


1.      Abrir Prompt de Comando como Administrador;
2.      No Prompt de Comando, entre com os seguintes parâmetros:

reg add "HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\Terminal Server" /t REG_DWORD /v "fDenyTSConnections" /d 0 /f {Enter}

reg add "HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\Terminal Server\WinStations\RDP-Tcp" /t REG_DWORD /v "UserAuthentication" /d 0 /f {Enter}

fDenyTSConnections Habilita(0) ou Desabilita(1) o RDP do Windows
UserAuthenticationDefine se o modo de autenticação será em nível de rede ou não. Para máquinas, principalmente distro Linux, que não estão no AD realizar uma conexão RDP, o valor deve ficar como “0”.


Habilitar o auto-tuning TCP


      1.      Abrir Prompt de Comando como Administrador;
      2.      No Prompt de Comando, entre com os seguintes parâmetros:

netsh interface tcp set global autotuning=disabled {Enter}

Para verificar se foi desabilitado: netsh interface tcp show global

Caso queira reativá-lo: netsh interface tcp set global autotuning=normal

Configurando o Raspberry Pi

Estamos considerando que você já tem uma imagem instalada no seu Raspberry Pi.

Instalar o cliente FreeRDP

1.      Abrir o terminar e entrar com os seguintes parâmetros:

sudo apt-get update
sudo apt-get install freerdp-x11-dbg

Assim que o pacote for instalado, realize um teste no terminal com o seguinte parâmetro:
xfreerdp -sec-nla /v:NomeDoComputadorRemoto

O parâmetro -sec-nla, serve para evitar que seja solicitado suas credências ainda no terminal, o /v: é onde dever ser informado o nome da máquina remota

Para consultar uma lista completa de todos os parâmetros, digite no terminal xfreerdp --help

Parâmetros do FreeRDP Testado

Testamos uma grande maioria dos parâmetros do xfrerrdp que listamos abaixo o que tivemos um melhor resultado.

Parâmetros que testamos e tivemos um melhor desempenho e qualidade: 

xfreerdp +fonts -sec-nla --rfx-mode:video --nsc /jpeg-quality:82% --disable-wallpaper --disable-full-window-drag /cert-ignore -x l /gdi:hw --yes-osb --yes-bmp-cache /sound:sys:alsa  -- /f /w:1920 /h:1080  /v:NomeDoComputador

Script para automatizar conexão

Se quiser automatizar sua conexão, é só criar um arquivo com os seguintes parâmetros:


#!/bin/bash
echo "  ____     ___    _____           _____    ____
 |  _ \   / _ \  |  ___|         |_   _|  / ___|
 | | | | | | | | | |_     _____    | |   | |  
 | |_| | | |_| | |  _|   |_____|   | |   | |___
 |____/   \__\_\ |_|               |_|    \____|
                                                "
echo "DicasQueFunfa - Thin Client"
echo ""
check_process() {
  echo "$ts: checking $1"
  [ "$1" = "" ]  && return 0
  [ `pgrep -n $1` ] && return 1 || return 0
}

while [ 1 ]; do
  # timestamp
        ts=`date +%T`
        echo "  _   _    ___    __  __   _____     ____     ___      ____     ____    
 | \ | |  / _ \  |  \/  | | ____|   |  _ \   / _ \    |  _ \   / ___|  _
 |  \| | | | | | | |\/| | |  _|     | | | | | | | |   | |_) | | |     (_)
 | |\  | | |_| | | |  | | | |___    | |_| | | |_| |   |  __/  | |___   _
 |_| \_|  \___/  |_|  |_| |_____|   |____/   \___/    |_|      \____| (_)
                                                                         "
        read host;
        xfree="xfreerdp +fonts -sec-nla --rfx-mode:video --nsc /jpeg-quality:82% --disable-wallpaper --disable-full-window-drag /cert-ignore -x l /gdi:hw --yes-osb --yes-bmp-cache /sound:sys:alsa /f /v:$host"
        echo "$ts: begin checking..."
        check_process "xfreerdp"
  [ $? -eq 0 ] && echo "$ts: not running, restarting..." && `$xfree`
  sleep 5
done

Lembre de alterar a permissão do arquivo. Exemplo, caso você tenha criado um arquivo com o nome AutoRunRDP, abra o terminar e escreva

chmod +x AutoRunRDP


Lembrando que esse trabalho está em andamento, em qualquer momento podemos fazer atualizações ou alterações neste documento. 
Um comentário:

Marcadores

3G Modem Access Acesso Remoto ACT Active Directory ADOBE Adware Agendador de Tarefas Android Android Studio Antivírus App Apple AppXPackage Área de Trabalho Remota Atalhos de teclado AutoCAD BIOS Bitcoin Boa Dica Boot BSOD CentOS Certificação Cisco Citrix CLARO CMD CMS Codec Compatibilidade Concurso CorelDRAW CSS Curiosidade Curso Grátis Database Debian Desenvolvimento Dica Dicas Windows 8 Download Driver DUMP eBooks Excel Facebook Ferramentas Firefox Flash Flutter FTP Game Good tip Google Google Chrome Google Cloud HP HTML HTML5 Hype-V IBM Sametime Impressora Internet Internet Explorer iOS iPad iPhone ISO ITIL Java Kali Linux KB keyboard shortcuts Kindle Leitora Biométrica LibreOffice Linux Lotus Notes MAC (Media Access Control) MAC OS X Malwares MariaDB Microsoft Edge Microsoft Teams Modem Modem 3G Mozilla Firefox MSI MSTSC MySQL Notebook Notícias ODBC Office 2003 Office 2007 Office 2010 Office 2013 Office 2016 Outlook Papel de Parede PC PHP Plugin PowerPoint PowerShell Proxy Raspberry Pi RDP Redes Regedit Reset Roteador Ruby On Rails Scanner Segurança de TI Senha Smartphone Software Soluções SQL SERVER 2005 SSD Switch Tablet Thin Client Ubuntu Utilitários VBScript vCurso vDica video VMware Player WhatsApp Windows Windows 10 Windows 10 Education Windows 10 Enterprise Windows 10 Home Windows 10 IoT Windows 10 Pro Windows 7 Windows 7 Enterprise Windows 7 Home Basic Windows 7 Home Premium Windows 7 Starter Edition Windows 7 Ultimate Windows 8 Windows 8.1 Windows Phone Windows Preview Windows Server 2008 Windows Server 2012 Windows To Go Windows Update Windows Vista Windows XP Wireless WMI Word WordPress